LuzazuL

toda noite

[mmicromminnimmumm mminnimmorumm]

 

  

 

     toco a noite

      com os meus dedos silenciosos

 

      e ali, sob a sua casca maravilhosa,

       decifro a senha da sala dos segredos.

 

            abro, entro, e de imediato me dirijo

                        à minha mesa de trabalho,

        retirando da terceira gaveta da esquerda

       a chave do velho baú das reticências.

 

       vou e vasculho, ansioso,

             seu ventre ancestral

             em busca das respostas,

 

         mas ali encontro apenas

      as mesmas questões milenares

       que eu tinha em mente evitar.


Comente!