LuzazuL

olho n’olho

o olho vai e vê:

e tudo simplesmente

lá está

:

o olho repousa

no reflexo hiperíntimo

dele mesmo:

 

focado

no cérentro do próprio eixo

:

.

e de repente ele se desorienta,

se perdendo entre plânctons atônitos

e milhares de membranas ou guelras

sob inusitada excitação

fazendo finalmente tudo expl o d  i   r

 

[subdivimininfinitesimembrando-se

em incalculalcançáveis direções,

 

formando pares e ímpares de acústicos sóis]

 

:

[o outro olho, enquanto isso,

calmamente reinventa

as notícias do crepúsculo

na conflagração de coágulos

que enfeita o ir da tarde].


Comente!