Perpetuocontinuum

aldeia (I)

 

Numa aldeia litorânea situada ao sul da América pré-colombiana, em sua face mais atlântica, e já num tempo imemorial, alguns jovens machos disputam jogos atléticos. Testam a sua destreza, medem a sua virilidade e, principalmente, exibem-se às jovens fêmeas, pois elas é que fazem a seleção. E parece que costumam dar preferência aos mais capazes, aos mais dotados de saúde e energia para o trabalho, além de estar no domínio das condições necessárias para mantê-las bem alimentadas e sempre satisfeitas – e às crias que naturalmente adviriam – elegendo, afinal (menos por eliminatória e mais por mérito, desta vez), os mais completos em relação ao gabarito geral do seu conjunto de expectativas.

Também é sabido que tais contendas entre os jovens serviam para hierarquizá-los frente aos seus pares na comunidade, seus líderes e comandantes em chefe, determinando a posição que cada qual ocuparia no contexto do grupo, nas mais diversas situações da vida em coletivo, tanto no presente como no futuro. Daí a importância duma boa classificação, pois poderia significar a diferença entre mandar e ser mandado; entre dispor de uma ou de várias redes para pescar; entre dormir nos braços de uma esposa amorosa e bem-disposta ou ter que montar guarda nas regiões mais longínquas do território.

Os jogos desenvolviam-se praticamente durante o ano todo – continuamente, independendo das estações, dos solstícios, equinócios ou fases lunares (obviamente que aqui se trata apenas dos períodos de paz, pois eram tempos de grandes perigos e de ameaças intermitentes, aqueles: povos vizinhos ávidos por transpor-lhes as fronteiras; aventureiros e mercenários a cobiçarem-lhes as riquezas; e, por toda parte, aves de rapina sempre à espreita, sempre por perto, prontas para qualquer caso dalgum descuido).

Após haverem sido longa e adequadamente preparados, enrijecidos e qualificados através dos sucessivos ritos de passagem, os machos entrados em puberdade iniciavam uma seqüência de eventos probatórios.

Principiavam pela submissão e enfrentamento aos elementos da natureza (o frio intenso das madrugadas de inverno na solidão de uma gruta da floresta; a umidade de dias e noites sob o jato duma cachoeira altíssima, atados a um tronco fincado no raso do riacho que nascia da queda d’água; o calor de semanas ao sol, durante o alto verão, imobilizados por poderosas amarras, nas areias escaldantes das dunas próximas à praia; a fúria das ondas, na luta por retornar à terra firme, após serem lançadas pelos seus preceptores a quilômetros da costa, em meio a tempestades especialmente escolhidas para esse fim), e seguiam progressivamente até chegar àquelas disputas corporais, normalmente requintadas de violência gratuita, com os outros moços da sua idade. Nessa etapa é que, do confronto entre os melhores, sobressaem os vencedores.

Embates mentais, todavia, somente aos que vivessem até atingir uma certa maturidade, que seria determinada e atestada por um reconhecimento automático e espontâneo – por isso raramente previsível ou programável – dos demais integrantes da tribo, e em particular dalgumas fêmeas mais idosas, que controlavam a vida política da aldeia.

E mesmo assim, não se tratava de algo muito exigente à capacidade de raciocínio, concentração ou outras habilidades mentais. Certamente a elas, às fêmeas, lhes apetecia muito mais a prática desses jogos do intelecto entre si, do que estimulá-las aos machos.

Em geral, a absoluta maioria daqueles jovens demonstrava-se capaz de sobreviver às etapas mais duras, tornando-se aptos às fases seguintes das provas, pois os limites vinham sendo testados e experimentados pelas sucessivas gerações, desda sua linhagem mais remota, embora muito poucas mortes ou mutilações irreversíveis hajam sido registradas na memória dos jogos, até então.

Mas isso durou assim apenas até um determinado dia. Um dia áspero, já no final do outono. O mar bravio, quase anoitecendo, quando algo inusitado acontece:

Num teste de coragem e bravura frente ao mar – quesito importantíssimo no cômputo geral – e que conferia aos exitosos, além de decisivos pontos extras, um fascínio todo especial, que os tornava qualquer coisa de irresistível aos instintos das fêmeas mais sensíveis, que aguardavam o desfecho dos acontecimentos com enorme ansiedade, à beira da praia, ao abrigo de pequenas e confortáveis cabanas.

Nessas cabanas eram acolhidos os regressantes do mar, e ali recebiam, durante os dias seguintes, toda a sorte de cuidados: seriam agasalhados, alimentados, teriam seus ferimentos tratados, seriam banhados, aquecidos, atenciosamente assistidos em seu descanso, e, quando finalmente recuperados de toda a sua fadiga, a maioria deles deixaria de ser virgem, em meio às delícias com que a carinhosa disposição e a doce lascívia daquelas fêmeas os afortunariam.

Mas justamente nesse dia, um jovem aspirante foi levado para além dos limites mais externos da zona considerada propícia aos propósitos do teste.

 

 

(continua)

 


Comente!